);

Sabemos que o ser humano gasta grande parte de sua vida trabalhando com a finalidade de subsistir e formar algum tipo de patrimônio, principalmente quando constitui família e se preocupa com o futuro desta.

Certamente as constantes transformações e acontecimentos da sociedade globalizada trazem preocupações com a proteção do negócio e salvaguarda do patrimônio.

Somados a estas situações algumas transformações e intervenções do Estado podem afetar de forma direta ou indireta o trabalho de uma geração.

Certamente, independentemente do nível social não resta dúvida que o melhor caminho a ser percorrido deve ser o resultante de análise preventiva, que possa evitar ou minimizar futuros problemas e ou prejuízos.

É comum ouvirmos histórias de famílias e de empresas de grande sucesso, que lamentavelmente por falta de uma visão estratégica e de um planejamento sucessório, lamentavelmente pelo falecimento dos progenitores e gestores, tem um fim trágico.

Não há dúvidas de que tantos as famílias como as empresas (familiares ou não) devem ter um assessoramento profissional que permita evitar que seja colocado em risco o patrimônio duramente construído, que muitas vezes ficam vinculados às atividades profissionais e empresariais.

Cremos que uma análise jurídica dentro das possibilidades efetivamente disponíveis na nossa Legislação, na busca de soluções simples e racionais, absolutamente legais, possam e devam ser adotadas de acordo com cada necessidade.

Dita pratica, previamente delineada, irá possibilitar que no futuro, em decorrência da vida normal e ou de algum fato inesperado e imprevisto, haja uma continuidade sem traumas e ou litígios, que além de desgastes normais venham a prejudicar as relações afetuosas.

Esta prática é conhecida como ‘PROTEÇÃO PATRIMONIAL E PLANEJAMENTO SUCESSÓRIO’.