);

Desde o dia 10 do corrente mês as empresas áreas brasileiras estão intensificando a fiscalização sobre o tamanho das malas de mão, antes de entrar na área de embarque, em voos nacionais. Inicialmente a campanha será no sentido de orientar os passageiros.

Após o período de duas semanas, essa fiscalização será realizada com maior rigor e, as bagagens que excederem o tamanho permitido terão que ser despachadas nos balcões de check-in das companhias aéreas, ficando sujeitas ao pagamento da taxa estipulada pelas companhias.

A cobrança para o despacho de bagagem vem sendo realizada pelas empresas aéreas, desde setembro de 2017 quando esses serviços passaram a ser normatizados aos seus clientes.

Independente da empresa escolhida, o tamanho padrão para esse tipo de bagagem, é o mesmo, uma vez que essas empresas seguem a mesma padronização de medidas, que é de 55 cm de altura por 35 cm de largura e 25 cm de profundidade, incluindo alça, bolsos e rodinhas, que deverá ser verificada pelo passageiro antes de entrar na área de embarque.

Os passageiros encontrarão uma área de triagem, antes de passar pelo raio-x, onde haverá uma caixa que servirá como gabarito para atestar se essa mala, bolsa ou mochila está dentro das dimensões permitidas.

Assim, dentro desse padrão adotado, é permitido ao passageiro levar consigo, uma bagagem de mão com até 10 Kg sem custo algum. Contudo, esse peso poderá ser restringido por questões de segurança e, até mesmo pela capacidade da aeronave, lembrando que por questões de segurança é proibido levar objetos cortantes, inflamáveis, explosíveis ou qualquer outro item classificado como objeto perigoso.

O custo para despachar a bagagem que não está dentro das regras, varia de acordo com o tipo de franquia contratada para a viagem. Nas principais companhias nacionais – Latam, Gol, Azul e Avianca Brasil – o valor da bagagem despachada pode variar entre R$ 59,00 e R$ 140,00, dependendo se for comprada antecipadamente pelo site da companhia ou no próprio aeroporto em momento próximo ao embarque.